Melatonina e o Sono

0
6
Melatonina e o sono

O padrão de acordar durante o dia quando está claro e dormir à noite quando está escuro é uma parte natural da vida humana. Só recentemente é que os cientistas começaram a compreender o ciclo alternado de sono e despertar, e como está relacionado com a luz do dia e a escuridão.

Um fator chave na forma como o sono humano é regulado é a exposição à luz ou à escuridão. A exposição à luz estimula uma via nervosa da retina do olho para uma área do cérebro chamada hipotálamo. Lá, um centro especial chamado núcleo supraquiasmático (SCN) inicia sinais para outras partes do cérebro que controlam hormônios, temperatura corporal e outras funções que desempenham um papel em nos fazer sentir sonolentos ou acordados.

O SCN funciona como um relógio que desencadeia um padrão regulado de atividades que afetam todo o corpo. Uma vez exposto à primeira luz todos os dias, o relógio no SCN começa a realizar funções como elevar a temperatura corporal e libertar hormonas estimulantes como o cortisol. O SCN também retarda a liberação de outros hormônios como a melatonina, que está associada com o início do sono, até muitas horas depois, quando a escuridão chega.

O que é melatonina?

A melatonina é uma hormona natural produzida pela glândula pineal (pih-knee-uhl) do seu corpo. Esta é uma glândula do tamanho de uma ervilha localizada logo acima do centro do cérebro. Durante o dia, a pineal está inativa. Quando o sol se põe e a escuridão ocorre, a pineal é “ligada” pelo SCN e começa a produzir ativamente melatonina, que é liberada no sangue. Normalmente, isso ocorre por volta das 21 horas. Como resultado, os níveis de melatonina no sangue aumentar drasticamente e você começa a se sentir menos alerta. O sono torna-se mais convidativo. Os níveis de melatonina no sangue permanecem elevados por cerca de 12 horas – durante toda a noite – antes da luz de um novo dia, quando eles caem de volta aos baixos níveis diurnos por cerca de 9 horas. Os níveis diurnos de melatonina são quase imperceptíveis.

Além de ajustar o tempo do relógio, a luz brilhante tem outro efeito. Ela inibe diretamente a liberação de melatonina. É por isso que a melatonina é às vezes chamado de “Drácula dos hormônios” – que só sai no escuro. Mesmo que a glândula pineal seja ligada pelo relógio, ela não produzirá melatonina a menos que a pessoa esteja em um ambiente pouco iluminado. Além da luz solar, a iluminação artificial interior pode ser brilhante o suficiente para evitar a liberação de melatonina.

A dosagem correta

As chances são boas de que você tenha visto melatonina em lojas de alimentos saudáveis ou em um anúncio ou artigo. Nenhum outro hormônio está disponível nos Estados Unidos sem receita médica. Porque a melatonina está contida naturalmente em alguns alimentos, o E.U. Dietary Supplement Health and Education Act of 1994 permite que ele seja vendido como um suplemento dietético (por exemplo, vitaminas e minerais). Estes não precisam ser aprovados pela Food and Drug Administration (FDA) ou controlados da mesma forma que as drogas.

Porque não é classificado como uma droga, a melatonina sintética é feita em fábricas que não são regulamentadas pela FDA. As doses listadas não podem ser controladas ou precisas, o que significa que a quantidade de melatonina em um comprimido que você toma pode não ser a quantidade listada na embalagem. A maioria dos produtos comerciais são oferecidos em dosagens que causam níveis de melatonina no sangue para subir a níveis muito mais elevados do que são produzidos naturalmente no corpo. Tomar uma dose típica (1 a 3 mg) pode elevar os níveis de melatonina no sangue para 1 a 20 vezes o normal.

Para que a melatonina seja útil, a dosagem correta, o método e a hora do dia em que é tomada devem ser adequados ao problema do sono. Tomá-lo na hora “errada” do dia pode redefinir o seu relógio biológico em uma direção indesejável. Quanto a tomar, quando tomá-lo, e a eficácia da melatonina, se houver, para distúrbios do sono particular está apenas começando a ser compreendido.

Embora haja preocupações reais sobre o uso generalizado da melatonina vendido como um produto de consumo, não houve nenhum caso relatado de toxicidade comprovada ou overdose. Se você está preocupado com a dosagem correta de melatonina para você, fale com o seu profissional de saúde.

Pesquisa

Para algumas pessoas, a melatonina parece ajudar a melhorar o sono. No entanto, quando os cientistas realizam testes para comparar a melatonina como um “comprimido para dormir” com um placebo (comprimido de açúcar), a maioria dos estudos não mostra nenhum benefício da melatonina. Evidências de que a melatonina pode redefinir o relógio do corpo é mais bem estabelecida, embora não esteja claro se a exposição à luz pode ser mais eficaz. Em geral, a pesquisa indica uma melhoria do sono quando a melatonina é tomada no momento apropriado para o jet lag e trabalho por turnos. A dosagem adequada e os eventuais riscos para a segurança tornar-se-ão evidentes com a continuação da investigação.

Alguns estudos mostram que a utilização da melatonina é promissora para encurtar o tempo necessário para adormecer e reduzir o número de despertares, mas não necessariamente o tempo total de sono. Outros estudos não mostram qualquer benefício com a melatonina.

São necessários grandes estudos para demonstrar se a melatonina é eficaz e segura para algumas formas de insônia, especialmente para utilização a longo prazo. Pode ser verdade que a melatonina é eficaz e segura para alguns tipos de insônia e para crianças, mas não para outros tipos de problemas de sono. Quanto a tomar, quando tomá-la e sua eficácia, se houver, para distúrbios específicos está apenas começando a ser compreendido.

Saiba quais são os benefícios da melatonina, seus efeitos colaterais e para quem este hormônio é ou não indicado:

Melatonina – Como este hormônio pode mudar sua vida! Conheça os benefícios da melatonina para um sono reparador e muito mais:

Deixe uma resposta