Estudo aumenta a esperança de uma vacina eficaz contra a malária

0
34
Vacina da malária

No Hospital Universitário de Tübingen, um ensaio clínico liderado pelo Prof. Dr. Peter Kremsner, Diretor do Instituto de Medicina Tropical, Medicina de Viagens e Parasitologia Humana e pelo Dr. Rolf Fendel, Líder do Grupo de Pesquisa do Instituto de Medicina Tropical em parceria com o Centro Alemão de Pesquisa de Infecções (DZIF), conseguiu mostrar que a vacina, Sanaria PfSPZ-CVac, que está sendo desenvolvida em Tübingen junto com a empresa de biotecnologia Sanaria Inc., fornece 77% de proteção contra os parasitas da malária.

Sanaria PfSPZ-CVac é uma vacina viva que consiste de parasitas infecciosos Plasmodium falciparum (Pf) da malária que são injetados no sujeito ao mesmo tempo em que recebem um medicamento antimalárico. Os parasitas entram rapidamente no fígado onde se desenvolvem e se multiplicam por 6 dias, e depois emergem no sangue Assim que os parasitas deixam o fígado, a droga os mata imediatamente. Desta forma, o sistema imunológico do sujeito vacinado é preparado contra muitas proteínas parasitárias e se torna altamente eficaz para matar os parasitas da malária no fígado para bloquear a infecção e prevenir a doença.

“Com este estudo, alcançamos um novo marco importante no desenvolvimento de uma vacina eficaz contra a malária. Com apenas três imunizações em quatro semanas, conseguimos uma proteção muito boa contra a malária”, explica o Prof. Peter Kremsner, que tem ajudado a avançar o campo de pesquisa da malária na DZIF desde o seu início. Sua equipe foi capaz de desenvolver um novo regime de imunização que reduz significativamente a administração da vacina em comparação com estudos anteriores. O número de visitas exigidas por um sujeito para uma imunização completa foi reduzido de 13 para três. É importante notar que a equipe mostrou que a vacinação com parasitas da África poderia proteger contra parasitas geneticamente diversos da América do Sul.

A prova de eficácia foi fornecida utilizando o regime de infecção (desafio) controlada da malária humana desenvolvido pelas equipes de Tübingen e Sanaria. Aqui, os sujeitos dos testes foram infectados com parasitas após a imunização. Se a imunização contra os parasitas fosse bem sucedida, os parasitas seriam especificamente mortos pelo sistema imunológico. Se a proteção imunológica for incompleta e os parasitas se multiplicarem, os participantes do teste são tratados antes do aparecimento de qualquer sintoma de doença. Dez dos 13 sujeitos vacinados neste estudo foram completamente imunes à infecção.

“A vacina produz um alto nível de diferentes anticorpos e células imunes no corpo que podem reconhecer tanto os parasitas injetados quanto os antígenos do estágio hepático subseqüente. Estes anticorpos e células imunes contribuem para a forte imunidade protetora”, explica o Dr. Rolf Fendel.

Com uma estimativa de 229 milhões de infecções e 409.000 mortes em todo o mundo em 2019, a malária é uma das doenças infecciosas mais importantes e perigosas do mundo. Ela é causada por parasitas transmitidos aos seres humanos através das picadas de fêmeas infectadas de mosquitos. Crianças menores de cinco anos são o grupo mais vulnerável afetado pela malária, respondendo por 67% (274.000) de todas as mortes por malária em todo o mundo em 2019.

Referências

Study raises hope for effective malaria vaccine
https://medicalxpress.com/news/2021-05-effective-malaria-vaccine.html
Zita Sulyok et al, Heterologous protection against malaria by a simple chemoattenuated PfSPZ vaccine regimen in a randomized trial, Nature Communications (2021). DOI: 10.1038/s41467-021-22740-w

Deixe uma resposta