Descoberta pode levar a novos tratamentos contra a malária

0
30
Malária
Imagem: Australian National University

Um estudo liderado por pesquisadores da Universidade Nacional Australiana (ANU) poderia levar a novos tratamentos para combater a malária resistente a medicamentos, bem como impulsionar os medicamentos existentes.

A malária é causada por parasitas Plasmodium, que são disseminados às pessoas através das picadas de mosquitos infectados.

De acordo com os autores principais, Dra. Rowena Martin e a estudante de doutorado Sarah Shafik, a evolução contínua dos parasitas resistentes aos medicamentos existentes é uma ameaça significativa ao controle e eliminação da malária.

A equipe da Dra. Martin analisou o PfCRT, uma proteína que é fundamental para a resistência multirresistente ao parasita da malária e que também é, por si só, um alvo promissor de medicamentos.

“Há 20 anos, pesquisadores em todo o mundo vêm tentando entender a função do PfCRT e por que ele é essencial para a sobrevivência do parasita. Temos conseguido responder a estas perguntas de longa data”, disse o Dr. Martin.

“Há uma necessidade real de identificar novos alvos de medicamentos para a malária, bem como de aprender mais sobre a biologia do parasita e as proteínas responsáveis pela resistência a múltiplas drogas”, disse a Sra. Shafik.

“Nosso estudo do PfCRT contribui para todos esses objetivos”.

A pesquisa mostra que o PfCRT pode ser inibido por drogas, indicando que sua função natural é um alvo ‘drogável’, além de preparar o caminho para a concepção de novas terapias.

“Saber como o PfCRT funciona ajudará a desenvolver drogas que o bloqueiam”, disse o Dr. Martin.

“Além de matar o parasita, essas drogas poderiam ser usadas em terapias combinadas para anular a resistência multirresistência causada pelo PfCRT e assim restaurar as atividades das drogas existentes”.

“As terapias que visam o parasita de múltiplas formas são cruciais para combater a malária multirresistente”.

“Estamos agora também em posição de compreender as causas e restrições que estão ditando a evolução da PfCRT em diferentes partes do mundo onde a malária é motivo de preocupação”.

De acordo com o último relatório mundial sobre a malária, houve 228 milhões de casos de malária em 2018.

Também foram estimados 405.000 casos de malária em 2018, tornando a busca por tratamentos mais eficazes ainda mais crucial.

Referências

O relatório foi publicado na revista Nature Communications.

Sarah H. Shafik et al. The natural function of the malaria parasite’s chloroquine resistance transporter, Nature Communications (2020). DOI: 10.1038/s41467-020-17781-6

Deixe uma resposta